CONTOS MINIMALISTAS

“Vinte e quatro vozes depois da porta.
Retire os sapatos antes de entrar.”

CONTOS MINIMALISTAS
Minimalista

12 autores minimalistas + 12 convidados:

Ana Gilbert
(@ana_gilbert)

Ana Miguel Socorro
(@amiguelsocorro)

Ana Moderno
(@a_modernita)

Andreia Azevedo Moreira
(@andreia.azevedo.moreira)

Catarina Vale
(@katysavale)

Cristina Vicente
@cris_myself_)

Elsa Margarida Rodrigues
(@elsamargaridarodrigues)

Emanuel Reis
(@emanuel_reis86)

Isabel Gaspar

Joana M. Lopes
(@joana.m.lopes)

João Reis
(@joaoreis.author)

Lia Wolf
(@wolf_lia)

Liliana Silva
(@lilianasilva)

Lorena Kim Richter
(@lorenakimrichter)

Margarida Baptista

Maria João Pessoa

Mónia Camacho
(@moniamilitao)

Paulo Kellerman
(@paulokellerman)

Rafael Vieira
(@rah.pha)

Raquel Laranjeira Pais
(@raquel_lpais)

Ricardo Graça
(@atgraces)

Rita Serra

Sandra Vaz

Sandrine Cordeiro
(@sandrinecordeiro)

Os artistas gráficos:

Maraia: ilustração @hopefulngold

Licínio Florêncio: concepção gráfica e paginação @licinio_florencio

Sónia Silva: logotipo Minimalista @sonia_silvas

Encomendas: minimalista.editora@gmail.com

Sonho

Todas as noites sonho memórias novas.

Fotografar palavras
Projeto e texto | Paulo Kellerman
Fotos | Ana Gilbert

Cumplicidade entre imagens e palavras, entre afetos e talentos

Paulo Kellerman: 25 anos de atividade literária e de parcerias e projetos bonitos

Ilustração do postal comemorativo: Maraia (@hopefulngold)

Cinema

“Entra na sala; vê a cortina vermelha e sente-lhe a textura entre os dedos; inspira o cheiro quente e amargo das fitas nas bobines; respira a mistura do amadeirado doce das cadeiras; aceita o mofo sereno das alcatifas. E vê a lanterna. No cimo do balcão da entrada, enche-se de luz a piscar. Com ela, regressa à sala. Senta-se na primeira cadeira da última fila e olha o ecrã.”

Os meus dias são domingos, de Ana Miguel Socorro, na Antologia Minimalista (2020)

Minimalista Editora

Mãos secas

Fotografar palavras #3057

E assim, de repente, apercebeu-se de que não era só o seu coração que estava seco, mas também a sua voz e as suas mãos.
Pelas palavras que não mais foram ditas e as letras que, presas nas suas mãos imóveis, se refugiaram na timidez de quem nada sente.

Fotografar palavras
Projeto | Paulo Kellerman
Texto | Maria João Faísca
Fotos | Ana Gilbert

Conversas Literárias

Conversa sobre o livro Água Viva de Clarice Lispector

O evento contará com a participação das integrantes do Instituto Junguiano do Rio de Janeiro (IJRJ):

Sigrid Haikel, Maria Lúcia Lorêdo, Áurea Torres e Ana Gilbert

Dia 01 de Outubro de 2021| Sexta-feira, de 14h às 16h.

Valor simbólico de R$ 25,00 que será revertido para Casas das Palmeiras – Nise da Silveira

Informações e inscrições aqui ou no site do IJRJ

Fotografar palavras #2980

“Soprando rajadas fortes e intensas de pensamentos. Ofuscando o olhar com belezas imensas, pré concebidas, um tanto excêntricas, incapacitando a audição com demasiado ruídos ensurdecedores, parei no tempo. Incapacitei-me à vida, sem viver. Reescrevi uma história sem saber escrever, enumerei os dias longos, as manhãs mais compridas e todas as tardes de pôr do sol, sem saber contar. Dialoguei com estranhos, sem vez alguma ter conhecido a linguagem deles. E como se no vazio eu tivesse estado, simplesmente adormecida, um sopro de pensamento mudou de novo o meu rumo, o rumo da minha mente.”

Fotografar palavras
Projeto | Paulo Kellerman
Texto | Joana Gonçalves
Foto | Ana Gilbert

Palavras

Palavras – movo-me com cuidado entre elas que podem se tornar ameaçadoras.”

Clarice Lispector (Água viva)