“O que importa o amanhã se amanhã já não vais estar aqui e a saudade, qual rosa cravada de espinhos, vai atormentar-me e impedir-me de respirar? Para quê respirar se não posso viver? O que importa o amanhã se não podes ficar?”

Fotografar palavras

Projeto: Paulo Kellerman
Texto: Helena Simão
Foto: Ana Gilbert